1

Mães protestam contra fim de convênio com creches em Diadema

Pais de alunos caminharam da Praça da Moça até a Câmara, onde realizaram manifestação - Foto: Carlos Carvalho especial para o DRCerca de 100 pessoas realizaram na manhã de ontem (12), em Diadema, um protesto contra o encerramento do convênio da prefeitura com algumas creches da cidade. Mães, pais, avós e tios de crianças que utilizam as creches conveniadas se reuniram na Praça da Moça, no Centro, de onde saíram com cartazes e faixas em direção à Câmara de Vereadores.

“O povo na rua, prefeito a culpa é sua”, era uma das principais palavras de ordem dos manifestantes. “Estamos aqui para que escolas não sejam fechadas, para que os convênios não sejam encerrados. Nossa luta também é pela qualidade do ensino e pelo ensino integral”, declarou Jefferson Nunes, que possui um filho em uma das creches. A polêmica em relação às unidades começou após o governo municipal anunciar que o convênio será encerrado em 31 de dezembro deste ano. A prefeitura alegou que está realizando estudos para futuro chamamento público de atendimento das demandas necessárias no município, por meio do qual será realizado novo convênio. “Precisamos trabalhar. Não temos com quem deixar nossos filhos”, disse Maria Braga, avó de um menino.

Legislação

O ato teve a presença dos vereadores Josemundo Dario Queiroz, o Josa (PT), José Antonio da Silva, o Zé Antonio (PT), Ronaldo Lacerda (PT) e Lílian Cabrera (PT), que seguiram junto aos manifestantes até a Câmara. Segundo Josa, apesar de obdecer a uma legislação federal, a mudança poderia ser contornada. “O prefeito está criando uma situação de abrir mais vagas em creche tirando as de quem já está nas creches. É absurdo, não discutiu com ninguém. É uma medida arbitrária que não contribui em nada com a situação das vagas na nossa cidade. Administrar não é apenas cumprir, é assumir posição”, criticou o vereador.

Josa rebateu a especulação de que a manifestação foi criada pela oposição. Conforme explicou, o ato foi organizado por meio das redes sociais pelas próprias mães e pais.

Os manifestantes também reivindicam o término de construção das creches em obras na cidade, além da criação das unidades noturnas, propostas pelo prefeito Lauro Michels (PV) em seu programa eleitoral. “Não é só isso, têm vários fatores. Por exemplo, meu filho é deficiente, mas só porque anda negaram o transporte especial para ele”, destacou Priscila Gomes, ao destacar que teve dificuldades em conseguir vaga para seu filho na rede municipal.

Pré-escola

Outra mudança que virá juntamente ao encerramento do convênio será o “corte” de matrícula. Na nova legislação o “corte” ocorre em 30 de junho, ou seja, as crianças que completam 4 anos até esta data serão encaminhadas para a educação infantil, conhecida como pré-escola. Com isso as creches serão destinadas apenas para os menores de 3 anos.

“Antes o corte era em março. Imagina quantas crianças entrarão nisso, é um impacto muito grande”, comentou Zé Antonio. O vereador, que já foi secretário de Educação do município na gestão petista, foi o principal alvo das críticas de Michels na coletiva realizada na tarde de ontem para explicar a situação.

O prefeito disse acreditar que a manifestação foi obra arquitetada puramente pela oposição e que havia apenas algumas “mães que não sabiam o que estavam fazendo” no meio. “O ex-secretário Zé Antonio tinha que ter vergonha na cara. O IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da época dele foi o mais baixo que Diadema já teve, de educação ele não entende nada”, atacou Michels que ainda disse que o petista só servia para ser vereador e fazer “projeto de nome de rua”.

Michels afirma que não fechará creches e desmente fim de empregos

O prefeito de Diadema, Lauro Michels, e o secretário de Educação, Marcos Michels, concederam coletiva para esclarecer sobre a questão de adequação de faixa etária das creches e da Lei de Diretrizes e Bases. O prefeito fez questão de desmentir que com o encerramento do convênio funcionários das creches ficariam desempregados. “Só estamos nos adaptando à uma lei federal. Não vamos fechar creches. O que vamos fazer é o seguinte, dia 31 de janeiro vence o convênio, porém, o município abrirá novo edital de convocação pública para que as mesmas creches possam participar da concorrência. As crianças de zero a 3 anos que precisam de vagas terão as das de 4 a 5 anos que irão para a pré-escola”, explicou Michels.

Segundo o prefeito, o processo servirá parar acabar com “politicagem”, pois, segundo Michels, muitas das creches conveniadas são ligadas a partidos e políticos da região e nem sempre oferecem as melhores condições para as crianças. “Tem creche que nem janela tem, são como depósitos de crianças”, disse.

Ensino integral

Como as aulas no ensino infantil são de apenas quatro horas, a ideia do secretário de Educação é tentar sanar a necessidade de ensino integral com programas como o “Cidade na Escola” e o “Mais Educação”, que oferecem aulas e atividades extracurriculares fora do período escolar normal. Outra novidade que entrará em vigor a partir do próximo ano será a implementação do sistema de ensino do Serviço Social da Indústria (Sesi na rede municipal.

“Com a mudança esperamos chegar perto de zerar o déficit de vagas em creches”, afirmou Marcos Michels. Segundo o secretário, cerca de 2.632 crianças sairão da rede conveniada, o que ajudará a suprir os 6.700 que estão na lista de espera, que somando com as vagas em creches do município deixarão 190 pessoas na espera, segundo a estimativa. O valor do repasse feito por criança também vai aumentar. “É normal que essas creches estranhem, vai aumentar o valor do repasse per capita ,mas em compensação vai diminuir o número de crianças”, ressaltou.

Editoria: Cidade Tags: , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Um comentário to "Mães protestam contra fim de convênio com creches em Diadema"

  1. tatiane disse:

    infelizmente o senhor prefeito de diadema lauro não deixa mais eu postar nada na pagina, fui excluída da sua pagina no face não posso mais deixar minha opinião e não foi somente comigo foi também com outras pessoas o que é uma pena pois agora tenho certeza que ele resolve seus problemas excluindo eles nao os resolvendo. Assim sera seu mandato? não de inclusão e sim de exclusão?. Fico triste pois fiquei sem as respostas que pedi a gentileza do senhor prefeito responder. Tipo como é que fica o piso da creche perceu que esta sem piso ate hoje. E o que eu vou fazer com meu filho quando ele tiver 3 anos? Tambem gostaria de saber porque o imposto vai aumentar tanto? Se minha conta de água vai aumentar? Que pena que o prefeito não sabe debater com a população sem excluir. deixo bem claro que não é politico pois nao apoio nem um partido deixo claro sim que é por cauda da minha indignação pelo abandono principalmente das crianças. Também do que adianta dar creche e escola para as crianças de diadema se as mesmas então abando nadas sem reforma sem nada. Vc senhor prefeito justifica tudo como se o culpado fosse a administração passada talvez seja mais sua promessa foi de melhorar esta administração anterior não piorar.

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2020 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.