0

Sítio Joaninha recebe água

Bairro é carente de infraestrutura; energia era proveniente de “gatos” - Foto: Divulgação / PMDLocalizado na região Sul de Diadema, no bairro Eldorado, o Sítio Joaninha é um núcleo habitacional irregular que existe há mais de 30 anos e ocupa uma região de mananciais. Por esses 30 anos a população local lutou para ser reconhecida como “moradores de Diadema”, mas, de acordo com alguns representantes da Associação de Moradores, eram vistos como fantasmas, sem direitos garantidos.

Foram mais de 30 anos de descaso, de abandono, de promessas quebradas, que começaram a mudar em 2013, quando as primeiras conquistas chegaram ao local, por meio de uma simples linha de ônibus, o 9-D, que liga o bairro ao centro da cidade e desde outubro de 2013 faz interligação dentro do Terminal Metropolitano de Diadema.

Depois veio a licença ambiental concedida em fevereiro de 2014 pela Cetesb para realizar obras de infraestrutura por todo o bairro. A partir disso, veio a energia elétrica, não mais dos “gatos”, mas dos postes da Eletropaulo, e as demarcações de casas, que agora têm um “endereço”.

Porém, a maior vitória conquistada pelos moradores do Sítio Joaninha foi anunciada na quinta-feira (15), quando o prefeito de Diadema, Lauro Michels, e o superintendente da Unidade de Negócio Sul da Sabesp, Roberval Tavares de Souza, anunciaram que a companhia vai fazer a ligação de água para a região, acabando com o sofrimento de quem tem de esperar a chagada de um caminhão-pipa para poder ter água para o banho, a lavagem de roupa e coisas que muitos consideram simples, mas para quem tem de encher o tambor até esperar o próximo carregamento chegar é como um sonho.

“Hoje só tenho a agradecer, porque a Sabesp ouviu o pedido e vai levar água para o Joaninha, e isso só vem coroar tudo o que estamos fazendo lá, com as obras de urbanização. Dia 8 de junho, não vamos só inaugurar o Parque Fernando Vitor, vamos começar as obras de encanamento de água para as pessoas do Joaninha”, destacou Michels.
Já o superintendente da Sabesp ressaltou que o problema de falta de água corrente no local é um caso isolado dentro da Grande São Paulo, e será resolvido em breve.“Até o fim de 2014 todas as casas do Joaninha terão suas instalações de água”, afirmou Tavares, lembrando que o Parque mencionado pelo prefeito terá manutenção feita pela Sabesp.

A presidente da Associação de Moradores do Sítio Joaninha, Clarice Pita dos Santos, declarou estar “muito feliz. Durante muitos anos carregamos essa cruz pesada de não ter nem água em casa, e agora temos certeza de que passaremos o Natal como qualquer cidadão de Diadema, que tem endereço, luz, água e mora em bairro bom”.

Outro munícipe, Raimundo Araújo disse que os moradores do Joaninha queriam ser conhecidos como cidadãos de Diadema, mas eram menos que indigentes. “Em um ano e cinco meses desse moço (o prefeito), conseguimos mais do que em 30 anos”, disse, fazendo um pedido a Lauro Michels: “Como sou deficiente, tenho muita dificuldade com as calçadas desta cidade. Faça as calçadas niveladas com as ruas para que as pessoas tenham mesmo acessibilidade.”

De acordo com a Sabesp, o projeto prevê o assentamento de cerca de 4.500m de redes e respectivas ligações domiciliares e implantação de booster, que irá proporcionar a adequada pressão para não haver intermitência do abastecimento do bairro.

Michels ao lado de moradores do Sítio Joaninha, que comemoram as conquistas na área de infraestrutura - Foto: Ronaldo Lima

Caminhão-pipa

No Sítio Joaninha, também conhecido como Vila Joaninha, moram mais de 5 mil pessoas que recebem água por caminhão- pipa. “Teve uma época que recebíamos o caminhão a cada 15, 30 dias, mas chegou a demorar 40 dias. Hoje são dois caminhões por semana, se não chover”, destacou a líder comunitária.

Segundo Michels, a prefeitura aguarda agora a liberação do recurso via Caixa Econômica Federal para concluir o processo de urbanização. A obra que será realizada pela Sabesp na região será custeada pela própria companhia, com orçamento de R$1,2 milhão.

“Iniciamos nossas operações aqui em Diadema em 31 de março deste ano e a primeira coisa que o prefeito pediu foi essa obra no Sítio Joaninha. Agora já estamos na fase final de chegada do material”, explicou Roberval Tavares. Segundo o superintendente, serão aproximadamente 5 mil metros de rede de distribuição. A obra também inclui a instalação de uma estação de bombeamento para que a água chegue às partes mais altas do bairro.

Editoria: Cidade Tags: , , , , , , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.