0

ONU define 2017 como Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento

Parque Nacional da Iguaçu abriga as Cataratas do Iguaçu, consideradas uma das Sete Maravilhas da Natureza. Foto: ICMB

Ao declarar 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, o objetivo da Organização das Nações Unidas (ONU) foi o de promover o turismo internacional, bem como valorizar as culturas e os patrimônios dos povos de todo o mundo. Embora a atividade seja subestimada, a ONU entende que o setor do turismo tem potencial para contribuir no desenvolvimento mundial nos três pilares da sustentabilidade – econômica, social e ambiental. Nesse cenário, o Brasil tem muito a se beneficiar com o avanço do turismo, tanto de estrangeiros que vem para cá quanto de nacionais que se deslocam entre regiões.

Uma das particularidades do país é a pujança natural: são centenas de praias, cachoeiras, chapadas e florestas espalhadas pelos 26 estados e Distrito Federal. Por isso, é estratégico que o país proteja os ambientes naturais para que essas belezas naturais continuem existindo e possam servir de atrativos turísticos; e isso costuma ser feito por meio da criação de unidades de conservação, a exemplos dos parques nacionais, estaduais e municipais. Alguns exemplos de parques que protegem locais turísticos brasileiros são o Parque Nacional do Iguaçu (onde estão as Cataratas do Iguaçu), em Foz do Iguaçu, no Paraná, o Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha, e o Parque Nacional da Tijuca (que fica no meio da cidade do Rio de Janeiro e protege o Corcovado, o monumento Cristo Redentor e uma exuberante floresta).

No Brasil existem centenas de outros parques, muitos deles abertos à visitação – e para conhecer mais sobre eles uma dica é acessar o site Wikiparques (www.wikiparques.org).

“Para que o turismo em áreas naturais realmente contribua para o desenvolvimento regional, é importante que ele seja realizado parceria com a comunidade local. Por exemplo, são bem-vindas capacitações de moradores da região para atuarem como guias de turismo, no comércio local e com empresários do setor de hotelaria e transporte”, destaca Teresa Magro, da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza.

Para Ivan Baptiston, diretor do Parque Nacional do Iguaçu, apesar de toda a riqueza natural do Brasil, as áreas naturais são pouco aproveitadas pela população. “Para melhor aproveitar o potencial desses parques e outras áreas naturais abertas a visitação, é necessário, de um lado, que os governos implementem estruturas adequadas (como banheiros, trilhas, fiscalização e alternativas de acesso), de outro, que as pessoas conheçam e entendam a importância desses parques”, afirma Baptiston.

Editoria: Turismo Tags: , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.