0

Atos contra e a favor do ex-presidente nas capitais têm baixa participação

Manifestantes protestaram contra condenação de Lula na Paulista. Foto: Kevin David/A7 Press/FolhapressA baixa mobilização de apoiadores e de opositores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas ruas de São Paulo nesta quarta-feira (12) contrastou com o impacto da notícia da condenação do petista pelo juiz Sergio Moro. Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Na avenida Paulista, que teve o trecho em frente ao Masp fechado pela PM, algumas centenas de pessoas se reuniram em frente a um carro de som do PT e de movimentos de esquerda. No alto, discursou Guilherme Boulos, líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).
Segundo Boulos, o juiz Sergio Moro “se comportou como um promotor desde o princípio”. “Foi uma farsa judicial. Mesma coisa que um juiz vestir a camisa de um dos times.” Boulos afirmou que “querem tirar o Lula das eleições no tapetão”.

A alguns metros dali, em frente à Fiesp, palco dos protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, cerca de 50 pessoas comemoraram a condenação – foram convocadas pelo movimento Vem Pra Rua, que também chamou para um “barulhaço” às 19h, no posto 5 da praia de Copacabana. Munidos com bandeiras do Brasil, bonecos “Pixuleko” e cartazes com fotos do juiz Sergio Moro e inscrições como “Lula na cadeia”, “Fim do foro privilegiado” e “2018 vamos dedetizar o congresso”, o grupo soltou fogos e incentivou quem passava de carro a buzinar.

Em São Bernardo, berço político e local de residência de Lula, a presença de militantes também foi pouco significativa. Entre oito e dez militantes ficaram conversando na calçada do prédio em que mora o ex-presidente, cantando pagode, chamando Lula de “papai” e revidando quando um motorista passava xingando pela janela do carro. A ideia dos apoiadores era de passar a noite em vigília, evitando “ovadas e pichações” dos prédios.

Em Curitiba, a notícia da condenação de Lula foi comemorada com fogos, distribuição de coxinhas, bolo e espumante.No Recife, um “ato de solidariedade” a Lula foi convocado para as 19h, na sede do sindicato dos Bancários de Pernambuco.Em Porto Alegre, dois atos modestos tiveram lugar no início da noite: um em apoio a Lula, outro comemorando a condenação do ex-presidente.

Editoria: Política Tags: , , , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.