0

De surpresa, Senado aprova reajuste de 16,3% no salário de ministros do Supremo

De surpresa, Senado aprova reajuste de 16,3% no salário de ministros do Supremo

Eunício: “Não haverá aumento do teto do gasto”. Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O Senado aprovou ontem (7) o reajuste de salário de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em 16,38%, de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil.

O projeto recebeu 41 votos a favor, 16 contra e uma abs­tenção. O texto depende de sanção do presidente Michel Temer para entrar em vigor.
Em seguida, também foi aprovado o aumento no mesmo porcentual do salário do procurador-geral da República, em votação simbólica, o mesmo de um ministro do STF.

A Folha de S.Paulo revelou ontem que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), havia incluído na pauta o projeto que aumenta o salário dos ministros. Parlamentares foram pegos de surpresa.
Logo após a votação, Eunício defendeu a medida e minimizou seu impacto no Orçamento. “Não haverá aumento do teto do gasto dos órgãos.”

A regra de teto de gastos limita o aumento das despesas dos órgãos da União à inflação do ano anterior.

Segundo cálculo feito pelas consultorias de Orçamento da Câmara e do Senado, o impacto anual nas contas públicas pode ser de R$ 4 bilhões.

Ocorre que o aumento do salário no STF gera efeito cascata, uma vez que o valor da remuneração dos ministros é o teto estipulado para os salários do funcionalismo. Além disso, al­gumas categorias têm suas remunerações atreladas às dos ministros.

O projeto para reajuste dos salários dos ministros do Supremo estava parado no Senado desde 2016, após aprovação na Câmara.

Editoria: Política Tags: , , , , , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 3002 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.