0

Cidades do ABC têm mortes e enfrentam manhã de caos após fortes chuvas

As cidades do Grande ABC enfrentam uma manhã de caos após as fortes chuvas que atingiram a Região Metropolitana de São Paulo na noite de domingo (10) e madrugada desta segunda-feira, 11. Os bombeiros confirmaram onze mortos e quatro feridos por volta das 12h45 em São Paulo e nas cidades vizinhas.

Quatro das mortes ocorreram em Ribeirão Pires. A prefeitura informou que a cidade registrou no período 110mm de chuva, índice previsto para todo o mês. Por volta de 0h30, um deslizamento de terra causou as vítimas na Rua Caiçara, no bairro Estância das Rosas. Duas pessoas foram resgatadas com vida. Ao todo a cidade registrou dez deslizamentos de terra.

De acordo com a prefeitura, dez famílias que moram no entorno do imóvel atingido pelo deslizamento foram retiradas da área. A cidade também foi atingida com quedas de árvores e pontos de alagamento.

Na divisa entre São Paulo e São Caetano do Sul, quatro pessoas foram carregadas pela enxurrada provocada pelo transbordamento do Tamanduateí. Três morreram em São Caetano e uma em São Paulo.

Em São Bernardo do Campo, um motociclista morreu na região do Taboão, na divisa com São Caetano. Segundo a prefeitura, o rapaz tentou atravessar um alagamento em frente ao Shopping Cristal, mas acabou se afogando. O Corpo de Bombeiros localizou o corpo após a água baixar. Ele estava acompanhado de uma mulher na garupa, que conseguiu escapar.

Ainda segundo a prefeitura, foi ativada a Operação Pé D’água, bloqueando diversas vias da cidade, como Avenida Faria Lima e a Rua Jurubatuba. Até às 10h havia pontos de alagamento no bairro do Rudge Ramos. Também foram registrados deslizamentos de terra na Vila São Pedro e na Vila São José, sem vítimas.

Em Embu das Artes, um deslizamento de terra também matou uma criança, e outras duas pessoas foram socorridas. Em Santo André, uma pessoa morreu afogada.

Na cidade de São Caetano do Sul, de acordo com a prefeitura, todas as entradas e saídas da cidade ficaram prejudicadas. A Secretaria de Mobilidade Urbana e a Defesa Civil recomendam que os moradores só saiam de carro em caso de grande necessidade, principalmente para se deslocar para fora da cidade. Os bairros mais atingidos foram Fundação, Prosperidade, São José e Jardim São Caetano.

Em Mauá, no período de 24 horas foram registrados 169 mm de chuva, contra uma média histórica de 30 mm para a época. A prefeitura informa que houve deslizamentos no município e uma pessoa chegou a ficar soterrada, mas resgatada com sucesso.

De acordo com o governo do Estado, as medições pluviométricas no início deste mês mostram índices muito acima das médias históricas de chuva. Em Santo André, por exemplo, choveu 182mm nas últimas 24 horas o equivalente a 80% da média para todo o mês de março. Em São Bernardo do Campo e Ribeirão Pires, o registro das últimas 24 horas também foi altíssimo e correspondeu a 78% e a 74% das médias mensais, respectivamente.

Editoria: Regional Tags: , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.