0

Em três semanas, etanol fica R$ 0,07 mais caro nos postos do ABC

Em três semanas, etanol fica R$ 0,07 mais caro nos postos do ABC

Gasolina ficou mais barata na semana passada, mas etanol é o combustível mais vantajoso. Foto: Arquivo

A demanda aquecida levou o preço médio do etanol hidra­tado a registrar a terceira semana conse­cu­tiva de aumento nos postos de combustível do ABC, apesar de a safra de cana de açúcar ter entrado em seu período de maior colheita.

O renovável foi vendido, em média, a R$ 2,621 na semana passada na região, com alta de 0,20% ante o valor apu­rado entre os dias 4 e 10 de agosto (R$ 2,616), segundo levan­ta­­men­to rea­li­­­­za­do pe­­la Agên­cia Nacio­nal do Pe­tró­­leo, Gás Natural e Bio­com­­bus­tí­veis (ANP), com da­­dos compi­la­dos pelo Diário Regional.

No acumulado das últimas três semanas, o etanol ficou, em média, sete centavos mais caro nos esta­belecimentos do ABC (a ANP não coleta de dados em Rio Grande da Serra).

O avanço nos preços reflete a procura aquecida pelo produto. Dados divulgados na semana passada pela União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica) mostram que as vendas do re­novável pelas usinas do Centro-Sul do país cresceram quase 13% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Paralelamente, os preços têm subido nas usinas paulistas, onde o renovável acumula sete semanas consecutivas de aumento nos preços, com alta acumulada de 8,8%.

No ABC, os preços do combustível verde variaram na semana passada entre R$ 2,299, em um esta­belecimento de Santo André; e R$ 2,999, em um posto de São Caetano.

GASOLINA

No sentido contrário, a ga­solina ficou 0,15% mais barata na semana passada e passou a custar, em média, R$ 4,069 o litro nos postos do ABC.

Os preços do derivado do petróleo variaram na semana passada entre R$ 3,699, em posto de Santo André; e R$ 4,699, em outro de São Caetano.
Apesar da queda nos preços da gasolina, o etanol segue van­ta­joso nos postos da região pela 15ª semana consecutiva.

A ANP considera que, por ter menor poder calorífico, o renovável tem preço limite equi­valente a 70% do valor do deri­vado de petróleo nos postos pa­ra ser considerado vantajoso.

Quando a paridade varia entre 70% e 70,4%, a escolha do combustível é facultativa. Acima de 70,4%, a gasolina deve ser a opção escolhida.

Na média dos postos pesquisados pela ANP no país, a paridade entre os preços médios do etanol e da gasolina é de 65,1%, também favorá­vel ao biocombustível.

A tendência para os próximos dias é de aumento no pre­ço da gasolina, devido à alta do dólar. O câmbio é um dos componentes usados pela Petrobras em sua política de preços, assim como a cotação do petróleo no mercado internacional.

Editoria: Economia Tags: , , , , , , , , ,

Assine e receba as publicações

Compartilhe esta matéria

Matérias Relacionadas

Comente esta matéria

Enviar comentário

Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.

© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.