List/Grid Arquivo por tags: salário

De surpresa, Senado aprova reajuste de 16,3% no salário de ministros do Supremo

De surpresa, Senado aprova reajuste de 16,3% no salário de ministros do Supremo

O Senado aprovou ontem (7) o reajuste de salário de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em 16,38%, de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil. O projeto recebeu 41 votos a favor, 16 ...
Neno: “na pauta econômica, nosso ponto de partida é a reposição da inflação”. Foto: Eberly Laurindo

Sindema se prepara para negociação e vê ‘cenário difícil’

O Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema (Sindema) realizará nos próximos dias reuniões para começar a debater a pauta de reivindicações da campanha salarial 2017. Com ...

Pagamento do 13º salário vai injetar R$ 2,7 bilhões na economia da região

O pagamento do 13º sa­lário aos trabalhadores com carteira assinada e a beneficiários da Previdência Social deve injetar R$ 2,71 bilhões na economia do ABC até o fim do ano, ...
Tite vai receber o mesmo salário de Dunga, R$ 600 mil/mês. Foto: Arquivo

Treinador aceitou assumir a seleção antes de acertar o salário com a CBF

O técnico Tite já deixou o Corinthians, mas ainda não definiu o seu salário na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A remuneração do treinador será um dos temas do encontro ...
carteiratrabalho

Reajustes salariais ficam abaixo da inflação em março, aponta Fipe

A recessão, além de ter aumentado o número de desempregados, tem outra consequência nociva para aqueles com carteira assinada: a perda de recomposição salarial. Dados do Boletim ...
Andaku: “Com menos dinheiro na economia há menos giro no comércio e nos serviços”. Foto: Divulgação/Consórcio Intermunicipal

Inflação e desemprego derrubam massa salarial do ABC ao menor nível desde 2010

Em meio à recessão que caminha para ser a maior da história do Brasil, a combinação nefasta de inflação alta, achatamento dos salários e aumento do desemprego está reduzindo ...
O salário mínimo no Brasil será R$ 788 a partir de 1º de janeiro de 2015. O novo valor foi fixado pelo Decreto 8.381/2014, assinado na última segunda-feira pela presidente Dilma Rousseff e publicado no “Diário Oficial da União” de ontem (30). Por dia e por hora, o piso salarial do país passará a ser, respectivamente, R$ 26,27 e R$ 3,58, define ainda o decreto.  Atualmente, o salário mínimo é de R$ 724. Portanto, subirá 8,84%. O aumento foi definido com base na política de valorização prevista na Lei 12.382/2011. Leva em consideração a variação real do Produto Interno Bruto (PIB) de 2013, quando a economia do país cresceu 2,5%, e inflação estimada para 2014, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).  De 2003 a 2014, o mínimo teve reajuste nominal de 262%, com aumento real (descontada a inflação, no caso, o INPC) de 72,31%, segundo cálculo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em abril daquele ano, o primeiro do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o valor foi fixado em R$ 240, ante R$ 200 até então.  Na proposta de Orçamento da União para 2015 que encaminhou ao Congresso no fim de agosto de 2014, baseado na lei, o governo tomou como pressuposto, para a definição de despesas da Previdência Social, um salário mínimo de R$ 788,06 a partir de janeiro do próximo ano. O valor definido no decreto é um arredondamento, portanto, do que o governo já havia programado.  Em agosto, quando foi apresentado o Projeto de Lei Orçamentária elaborado pelo governo, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão informou que o impacto do aumento do mínimo nas contas públicas, com o pagamento de benefícios, seria de R$ 22 bilhões no próximo ano.  Durante a tramitação da proposta de Orçamento para 2015 no Congresso, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), relator do projeto, elevou o mínimo para R$ 790, valor que foi aprovado pela Comissão Mista de Orçamento. A votação final do relatório pelo plenário do Congresso, no entanto, ficou para fevereiro, levando o governo a adotar, com arredondamento, sua proposta original.  Prorrogação  Em princípio, 2015 é o último ano da aplicação da fórmula atual de reajuste do piso salarial com base na inflação do ano anterior e no PIB de dois anos antes. Porém, possível prorrogação da política de valorização do mínimo já está em exame pelos parlamentares. A Lei 12.382 determina que o Executivo deverá encaminhar ao Congresso um projeto de lei com nova política de valorização do mínimo, para o período 2016-2019. Isso deverá ser feito até 31 de dezembro do próximo ano.

Salário mínimo sobe para R$ 788 a partir de 1º de janeiro de 2015

O salário mínimo no Brasil será R$ 788 a partir de 1º de janeiro de 2015. O novo valor foi fixado pelo Decreto 8.381/2014, assinado na última segunda-feira pela presidente Dilma ...
Trabalhadores aprovam reajuste de 8,5% e o fim da greve nos sete municípios. Foto:Divulgação/Bancários ABC

Bancários aceitam 8,5% de reajuste e agências reabrem após greve de 7 dias

Os bancários de São Paulo, Rio, Brasília e dos Estados de Alagoas e Rondônia retornam ao trabalho hoje (7) após greve que durou uma semana com aumento de 8,5% – 2,02% acima da ...
© 2019 Diadema Jornal. Todos os direitos reservados.
.